Katia Dittrich, uma vereadora assim, “no mato sem cachorro”.

Katia Dittrich, uma vereadora assim, “no mato sem cachorro”.

Situação complicada vive a vereadora Katia Dittrich. Ela, que é conhecida como Katia dos Animais de Rua, ficou literalmente, salvo melhor juízo, “no mato sem cachorro”. Depois das acusações, que a nobre edil nega, e ter sido expulsa do seu partido, o Solidariedade, qual deve ter em seus quadros somente inocentes, a nobre edil dançou. A decisão escancara geral e a perda do mandato é certa. Final da história: “está no mato sem cachorro”, por conta daquele velho ditado, que diz “o peixe morre pela boca”. Dona Katia Dittrich, os bichinhos de rua estão precisando de você. >>>>>>>>>> PUBLICADA ÀS 23:35 – 07/12/17

Prefeito de Arapongas sanciona leis que são inconstitucionais sobre Escola sem Partido e proibição à “ideologia de gênero”

Prefeito de Arapongas sanciona leis que são inconstitucionais sobre Escola sem Partido e proibição à “ideologia de gênero”

O absurdo. Como pode vereadores votarem e, o pior, o prefeito sancionar leis que sabem ser inconstitucionais. É um movimento ingênuo que visa tirar o foco das ações políticas que os representantes, como os de Arapongas, não conseguem implementar e realizar em favor da comunidade. Abaixo a matéria do Portal TNONLINE. O prefeito de Arapongas, Sérgio Onofre da Silva (PSC), já sancionou e fez publicar no órgão oficial do Município as leis aprovadas pela Câmara de Vereadores que tratam da instituição do Programa Escola Sem Partido no âmbito da rede municipal de ensino e da proibição da chamada “ideologia de gênero” nas escolas municipais e em outros espaços públicos. Ambos […]

Ex-prefeita de Guarartuba, Evani Justus, cunhada de Nelson Justus, vai ter que devolver R$ 1.755.449,76 aos cofres da Prefeitura

Ex-prefeita de Guarartuba, Evani Justus, cunhada de Nelson Justus, vai ter que devolver R$ 1.755.449,76 aos cofres da Prefeitura

A informação é do Tribunal de Contas do Estado Paraná. Segundo a Assessoria de Imprensa do órgão, o Centro Integrado e Apoio Profissional (Ciap), o representante legal em 2009, Dinocarme Aparecido Lima, e a então prefeita de Guaratuba, Evani Cordeiro Justus, (gestões 2009-2012 e 2013-2016) deverão restituir, de forma solidária, o montante de R$1.755.449,76 ao cofre municipal de Guaratuba (Litoral). A determinação foi emitida pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) no julgamento de denúncia relativa a convênio celebrado entre esse município e a organização da sociedade civil de interesse público (Oscip), em razão da ausência de comprovação da aplicação dos recursos repassados ao Ciap e das falhas na […]

Telejornal da Globo, deu um “bom dia” especial para o governador Beto Richa.   67% das cidades do Paraná estão sem delegado

Telejornal da Globo, deu um “bom dia” especial para o governador Beto Richa.  67% das cidades do Paraná estão sem delegado

O jornal de maior audiência em todo o território brasileiro, o Bom Dia Brasil, Rede Globo, destacou negativamente as coisas do Paraná na edição desta quinta-feira (07/12). O assunto não é novidade para os paranaenses. Quantas vítimas procuraram em suas cidades as delegacias e não encontram “uma viva alma” para, ao menos, dar uma atenção e apoio. A matéria da RPCTV, afiliada da Globo, dá conta que duzentos e setenta cidades do Paraná estão atualmente sem delegado, de acordo com a Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Adepol-PR). O número equivale a 67% do total. Segundo a associação, a defasagem em relação a vagas é ainda maior: […]

R$ 1.548.165,45 é o valor que o ex-prefeito de Umuarama vai ter que devolver ao município. Prepara o bolso…

R$ 1.548.165,45 é o valor que o ex-prefeito de Umuarama vai ter que devolver ao município. Prepara o bolso…

A determinação é do Tribunal de Contas do Paraná, que  julgou irregulares as contratações realizadas entre o município de Umuarama e a Associação Beneficente de Saúde do Noroeste do Paraná (Norospar) entre 2005 e 2006, de responsabilidade do ex-prefeito Luiz Renato Ribeiro de Azevedo (gestão 2005-2008). Em razão da decisão, o TCE-PR aplicou ao ex-gestor multas que somam R$ 7.980,32 e determinou que ele devolva ao cofre municipal R$ 1.548.165,45. Azevedo deve restituir ao erário R$ 116.400,00 em razão de acréscimo injustificado de 21,56% em relação ao contrato anterior; R$ 310.00,000 devido ao reajuste sem motivação de 24,68% no contrato; R$ 41.843,38 pelos adiantamentos realizados na execução do contrato; R$ […]