Bandidagem H2O – Pousada localizada na Ilha do Mel é acusada de furtar água da Sanepar. O roubo deixou moradores e turistas sem água

É brincadeira. Roubar água é pura falta de consciência humana. A população da Ilha do Mel não está acreditando que uma das mais importantes e bem estruturadas pousadas da localidade furtava água. O crime dificultou a vida de todos.

Tudo veio a público nesta quinta-feira (18/01), quando agentes fiscais da Paranaguá Saneamento detectaram mais uma ligação clandestina de água na praia do Farol, na Ilha do Mel. Os técnicos fizeram uma varredura na ilha, próximo ao ponto citado na denúncia.  Foram oito horas de trabalho, boa parte do tempo em mata fechada, até que a fraude foi localizada.  A ligação foi feita diretamente na linha de recalque que vai para o reservatório, por meio de uma mangueira de aproximadamente 100 metros que levava água clandestinamente até o local denunciado. A Polícia Miliar foi acionada e registrou o boletim de ocorrência.

A fraude no sistema de água e qualquer prática de adulteração que prejudique o funcionamento dos equipamentos de medição, lacres e tubulações e classificada como furto qualificado. Os principais tipos de fraude são as ligações clandestinas de água, o abastecimento irregular de água a terceiros, além da violação do corte de água e colocação de bombas. Esse tipo de procedimento traz inúmeros prejuízos, pois compromete seriamente o abastecimento provocando furos na tubulação e reduzindo a pressão da água para os moradores do local.

No final de ano, época em que a Ilha do Mel triplica a capacidade de visitantes, foi realizado um plano de ação com abastecimento intermitente em Encantadas e Brasília em busca de mais comodidade para os veranistas.

De acordo com o diretor geral da Paranaguá Saneamento, Luis Afonso Bazzo, a fraude é o fator agravante para a falta de água em algumas regiões da cidade. “Atualmente, 50% das perdas são atribuídas a fraude no sistema de abastecimento. Estamos intensificando as equipes de fiscalização e equipamentos de ponta para o “caça fraude” tanto em Paranaguá quanto na Ilha do Mel”, afirma.

A concessionária não conseguiu estimar o prejuízo financeiro, mas o responsável pela fraude de água responderá por inquérito policial.