Quadro Negro

A jornalista mais temida do Paraná, Ruth Bolognese, comentou no Blog ContraPonto a situação nebulosa da Operação Quadro Negro. "Abriu-se um abismo entre as tentativas do governo Beto Richa para abafar as investigações do Ministério Público sobre desvios de recursos públicos e a realidade. Os quatro os homens mais poderosos do estado – governador Beto Richa, presidente da Assembleia, Ademar Traiano, chefe da Casa Civil Valdir Rossoni e o primeiro secretário da AL, Plauto Miró Guimarães – se aproximaram ainda mais do inevitável: vir à público explicar as irregularidades. Os quatro são responsabilizados pelo Ministério Público do Paraná pelo desvio de mais de R$ 20 milhões de recursos destinados a reformas […]

Slider demonstrativo

Neste layout a imagem será sempre na dimensão de 800×600. Assim não corre o risco de estourar a imagem. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Vivamus magna justo, lacinia eget consectetur sed, convallis at tellus. Pellentesque in ipsum id orci porta dapibus. Praesent sapien massa, convallis a pellentesque nec, egestas non nisi.

Tamo…

OS DEPUTADOS DO PARANÁ QUE VOTARAM CONTRA MICHELZINHO Aliel Machado (Rede), Assis do Couto (PDT), Christiane Yared (PR), Diego Garcia (PHS), Ênio Verri (PT), Francischini (SD), Leandre (PV), Leopoldo Meyer (PSB), Luciano Ducci (PSB), Rubens Bueno (PPS), Sandro Alex (PSD), Zeca Dirceu (PT). OS DEPUTADOS DO PARANÁ FAVORÁVEIS AO PRESIDENTE    Alex Canziani (PTB), Alfredo Kaefer (PSL), Dilceu Sperafico (PP), Edmar Arruda (PSD), Evandro Roman (PSD), Giacobo (PR), Hermes Parcianello (PMDB), João Arruda (PMDB), Luiz Carlos Hauly (PSDB), Luiz Nishimori (PR), Nelson Meurer (PP), Nelson Padovani (PSDB), Osmar Bertoldi (DEM), Osmar Serraglio (PMDB), Reinhold Stephanes (PSD), Sérgio Souza (PMDB), Takayama (PSC) Toninho Wandscheer (Pros).

Assim caminha a humanidade. Deputado dança e o povo chora

O deputado Carlos Marun (PMDB) comemorou a vitória antes mesmo de o presidente estar matematicamente salvo. Ele se aproximou de jornalistas fazendo uma dancinha e cantando "Tudo está no seu lugar. Graças a Deus, graças a Deus". "Surramos mais uma vez essa oposição, que não consegue nenhuma ganhar", disse o deputado batendo palmas. As informações são do jornalista Daniel Carvalho da Folha de São Paulo. Veja o vídeo da REC NOTICIAS

Sexo explícito. Vídeo do deputado tatoo agita os bastidores da Câmara

Na Câmara Federal, nesta quarta-feira (26/10), dois assuntos chamaram atenção. Um, como todos sabem, foi a votação da denúncia de Michel Temer. O outro foi sobre um vídeo íntimo, no qual o personagem principal seria Wladimir Costa (SD-PA) — o deputado que fez uma tatuagem no braço a favor de Temer, informa o Blog do jornalista Lauro Jardim. “Sem quórum para o início da votação, o vídeo viralizou nas bancadas da Câmara. O mesmo vídeo, aliás, em que um suposto Wlad contracena com uma loura de forma mais do que explícita, foi mostrado em um jantar na casa de Rodrigo Maia, na semana passada”.

Frente Parlamentar Mista lança manifesto contra leilões do pré-sal

Nesta quarta-feira (25/10), a Frente Parlamentar Mista para a Defesa da Soberania Nacional, constituída por mais de 200 parlamentares, lançou um manifesto contra os leilões de oito blocos do pré-sal marcados para a próxima sexta feira. Participaram do evento o presidente da Frente, Senador Roberto Requião, o secretário executivo, Deputado Federal Patrus Ananias, além de vários outros senadores e deputados. Foto: (Alessandro Dantas).

Paraná é o quarto estado em número de cédulas falsificadas. Foram apreendidos R$ 28 milhões

Já parou para pensar na quantia em dinheiro falso que circula por aí? Nos últimos 23 anos, o Banco Central (Bacen) registrou a apreensão de mais de R$ 425 milhões em cédulas falsas. Desde janeiro deste ano, mais de R$ 25 milhões foram recolhidos pelo Bacen. As informações são do banco central e constam no site Dados Abertos do Governo Federal. Na lista dos estados com o maior número de notas falsas apreendidas, o Paraná fica em quarto lugar. São R$ 28 milhões de cédulas falsificadas recolhidas no estado. No primeiro lugar entre as unidades federativas? São Paulo é a resposta. Nas duas décadas, apreendeu R$ 155 milhões, ou seja, 36% […]