Empresários reclamam, deputados aprovam, o governo sanciona e os paranaenses levam as chibatadas dos aumentos

A grande roda da sobrevivência é sempre assim, notadamente com governos insensíveis e nada criativos.

Os administradores, para alavancar o grande caixa, que serve para empreender obras que visam votos nas urnas, resolvem suas dificuldades de forma tão fácil que fica parecendo que “somos vítimas de bons batedores de carteira”.

A majoração do ICMS no Paraná acaba de ser aprovada “pelos representantes do povo” e rapidamente será sancionada por este governo que só tem uma meta. Eleger-se senador, fazer seu irmão deputado federal e dar de presente uma cadeira de deputado estadual para o filhinho metido a entender do nada e muito menos. Parece história de premiação ao filho aproveitador. Ele gasta, não frequenta a escola, engravida namoradas, deixa a criança para os pais cuidarem e depois de tudo isso, endividado, reúne a família e pergunta: Quanto cada um pode dar para eu pagar as contas?

Assim se comporta o nosso governo. De forma louca e desproporcional. Encheu o estado de dívidas, gastou sem poder e depois afirma que as finanças do estado estão “uma beleza”, porém, precisa que a conta seja paga pelos paranaenses.

Enfim, um governo nada digno e que não merece sua atenção quando as eleições estiverem batendo à sua porta.