Falta Segurança. A máxima “a união faz a força” está sendo levada ao pé da letra por motoristas de aplicativos de Curitiba

Segundo reportagem do gazeteiro Rodolfo Luis Kowalski, leia-se PORTAL BEM PARANÁ, para sobreviverem à violência das ruas, eles se reuniram em pelo menos seis grupos diferentes que contam com uma espécie de “botão do pânico” que pode ser acionado em situações de risco, alertando os demais motoristas que o colega precisa de apoio.
Em Curitiba, o maior desses grupos é o Driver Elite Club (DEC), que conta com cerca de 3,1 mil cadastrados. Não é cobrado nenhum tipo de taxa dos motoristas que se cadastram, sendo exigido apenas que eles se dirijam até a sede do clube, na Rua Domingas Scroccaro Marochi, 403, no bairro Umbará, para começarem a participar.
Embora não dê maiores detalhes sobre como funciona o sistema por uma questão de segurança, Marielen Salvaia, diretora disciplinar do D.E.C., explica que se trata de uma série de aplicativos utilizados em conjuntos que permitem aos motoristas avisarem os colegas quando estão passando por alguma situação de risco, como um roubo, ou mesmo quando estão indo para algum lugar mais perigoso.
“Os aplicativos não nos oferecem nada de segurança e também não adianta a gente exigir da Segurança Pública, que é falha. Então ele (botão do pânico) surgiu por conta da necessidade de proteção maior, principalmente a noite”, explica Marielen. “Toda a nossa turma tem o sistema e são monitorados. Cuidamos uns dos outros, desde uma pane no carro até um passageiro incomodando”, explica.

VEJA MAIS